O Quarteto de Guitarras Parnaso foi formado em 2010, e surgiu da iniciativa do guitarrista Augusto Pacheco, pretendendo assim criar em Portugal um tipo de formação instrumental que, embora comum no estrangeiro, é pouco usual no nosso país.

Os quatro guitarristas do Quarteto Parnaso, Augusto Pacheco, Carlos David, Gonçalo Morais e Paulo Andrade, além de diplomados por Escolas Superiores de Música em Portugal, vieram depois a prosseguir a sua especialização no estrangeiro. A sua grande cumplicidade pessoal e musical, associada a um elevado nível de experiência pedagógica e de música de conjunto, contém na sua essência valores e qualidades técnicas e humanas fundamentais para se fazer música de excelência.

O Quarteto apresenta em concerto um repertório que passa por diversos períodos da História da Música, através de transcrições de obras orquestrais, assim como obras originalmente compostas para quarteto de guitarras. O Quarteto realizou a estreia absoluta de obras dos compositores Fernando Lapa, Ricardo Ribeiro e Óscar Rodrigues.

Realizaram concertos em diversas salas do país, como o Teatro Rivoli, Centro Cultural de Cascais, Theatro Circo, Teatro Helena Sá e Costa, entre outras. Destacam-se os concertos no 14º Festival Internacional de Guitarra de Sernancelhe, em Guimarães 2012 (Capital Europeia da Cultura), 1º Festival de Guitarra de Braga e no 5º Ciclo "Seis Cordas Seis Momentos" em Santo Tirso. Em 2013 realizaram um concerto para o programa "Concerto Aberto" da Antena 2.

Augusto Pacheco

Iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Vilar do Paraíso. Após concluir o Curso Complementar de Guitarra, licenciou-se na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto na Classe do Prof. José Pina.

Estudou em Paris, no Conservatório Nacional da Região d’Aubervilliers onde obteve o Premier Prix no Curso Superior de Guitarra na classe do Prof. Alberto Ponce. Com o mesmo Professor estudou ainda na École Normale de Musique de Paris.

Sob orientação do Prof. Paulo Vaz de Carvalho e do Maestro José Luís Borges Coelho concluiu o Mestrado em Performance na Universidade de Aveiro, sendo a sua dissertação "A Obra para Guitarra de Fernando Lopes-Graça".

Trabalhou também Música de Câmara Antiga no Conservatório Municipal Claude Debussy com o prof. Ilton Wjunisky, participando na apresentação da ópera Dido e Eneias de H. Purcell.

Frequentou cursos de aperfeiçoamento orientados pelos professores Robert Brightmore, Leo Brouwer, Abel Carlevaro, Jozef Zsapka, Betho Davezac, David Russel e Roland Dyens.

Realizou vários recitais a solo e em duo (com Flauta, Canto, Violino e Guitarra), em Portugal, França e Russia. Apresentou-se no Festival Internacional de Guitarra de Aveiro, no Festival Internacional de Gaia e no Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura – onde participou na apresentação da Ópera Infantil Brundibar de Hans Krasa, tocou ainda no Concurso de Guitarra de S. João da Madeira, no Festival de Guitarra de Santo Tirso, Festival Internacional de Guitarra de Sernancelhe, Elogio da Guitarra e no Festival de Guitarra de Santa Maria da Feira.

Tocou a solo com as orquestras Clássica da Madeira, Nacional do Porto, Esproarte, Filarmonia das Beiras e “Silver Strings” (Rússia).

Obteve o 2º prémio no Concurso Internacional de Guitarra de Tomar (1º prémio não atribuído) e o 3º prémio no Concurso Internacional de Guitarra de Sernancelhe.

Desenvolve um intenso trabalho com a flautista Raquel Lima com quem foi semi-finalista no Concurso Internacional de Guitarra Mauro Giulliani em Bari – Itália. Em 2008 gravou o primeiro CD que tem como título o nome do duo: “Pourquoi Pas”.

Integra o Duo Soledade com o Violinista Gaspar Santos.

Os Compositores Ângela Lopes, Eduardo Patriarca e Fabio Gorodski têm-lhe dedicado algumas das suas obras.

Fundou e dirige a Orquestra de Guitarras da Academia de Música de Vilar do Paraíso. Com esta Orquestra participou no Festival Europeu de Música para Jovens de Neerpelt-Bélgica, obtendo em 2001-1º Prémio; 2002 e 2011-1º Prémio Cum Laúde. Participou também no primeiro concurso de Orquestras de Guitarras-Gofi Contest em Bad-Neuheim-Frankfurt onde obteve igualmente o 1º Prémio. Além dos vários concertos que realizou por todo o país, apresentouse em S. Petersburgo, Paris e no 3.euro jugendmusik festival em Baden-Wurttemberg. “Cordas Soltas”, “Comntrastes” e “Plaisir” são o nome dos registos desta orquestra.

Dirigiu no ano 2002/2003 a Orquestra de Plectro do Porto.

É docente na Academia de Música de Vilar do Paraíso, no Instituto Jean Piaget em Viseu.

É doutorando na Universidade de Aveiro.

Carlos David

Iniciou os seus estudos musicais em 1998 na Academia de Música de Vilar do Paraíso onde concluiu o curso complementar sobre a orientação do professor Augusto Pacheco. Durante esse período fez parte da Orquestra de Guitarras da Academia de Música de Vilar do Paraíso e realizou vários concertos e concursos na Bélgica, Alemanha, França e Rússia assim como a gravação de CD's.

Participou em concursos nacionais onde obteve 1ºprémio no concurso de Santa Cecília e uma menção honrosa no concurso Conservatório do Porto.

Ingressou na ESMAE onde concluiu concluiu o 1ºano da Licenciatura de Guitarra sobre orientação do professor José Pina.

Frequentou a École Normale de Musique Alfred Cortot onde teve aulas com Alberto Ponce em guitarra clássica e Claude Lelong em Música de Câmara.

Apresentou-se em várias salas de concerto como Ateneu Comercial do Porto, Foyer da Casa da Música, Grande Auditório do Europarque, Cidade Universitária em Paris, entre outras.

Realizou vários cursos de aperfeiçoamento técnico-musical com Alberto Ponce , José Pina, Betho Davezac, Michael Lewin , Frank Bungarten, Remi Jousselme, Miguel Carvalhinho e Zoran Dukic.

Em 2010 ingressou na Universidade de Évora, onde em 2011 concluiu a Licenciatura em Guitarra Clássica na classe do Dejan Ivanovic. Trabalhou como Monitor nesta mesma instituição de ensino em 2013.

Em 2014 ingressou na Universidade do Minho onde completou o Mestrado em Ensino de Música em 2015 sob orientação do professor Ricardo Barceló.

Actualmente é docente no Fórum Cultural de Gulpilhares e na Academia de Música de Paços de Brandão. Integra o Quarteto Parnaso.

Gonçalo Pires de Morais

Iniciou os seus estudos na Academia de Música de Vilar do Paraíso em 1999. Em 2005 acabou o curso complementar na classe do Prof. Augusto Pacheco, ano em que foi premiado em diversos concursos nacionais. Nesse mesmo ano ingressou na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto na classe do Prof. José Pina, onde finalizou o 1º Ano.

Em 2006 ingressou na École Normale de Musique de Paris na Classe do Prof. Alberto Ponce onde, em 2010, finalizou o “Diplôme Supérieur d’Exécution de Guitare”.

Realizou cursos de aperfeiçoamento com os professores Alberto Ponce, Julius Kurauskas, Frank Bungarten, Roberto Aussel, Betho Davezac e José Pina.

Fez parte da Orquestra de Guitarras da Academia de Música de Vilar do Paraíso até 2006. Participou no Festival Europeu de Música para Jovens de Neerpelt onde a orquestra obteve o 1º Prémio com Laúde. Participou também no primeiro concurso de orquestras de guitarras – GOFI Contest, em Bad Neuheim (Frankfurt), onde a orquestra obteve o 1º Prémio. Tocaram em diversas cidades de Portugal, em Paris e também em St. Petersburgo. Com esta orquestra participou na gravação de 3 CD’s: "Cordas Soltas", "Comntrastes" e "Plaisir".

Realizou diversos recitais em Portugal e em França e é membro do Quarteto Parnaso, com quem realiza diversos concertos.

Frequenta o Mestrado em Ensino de Música na Universidade de Aveiro.

É actualmente docente na Academia de Música de Vilar do Paraíso.

Paulo Andrade

Iniciou os seus estudos musicais em 1995 na Academia de Música de Vilar do Paraíso. Concluiu, em 2000, o curso Complementar de Guitarra Clássica e ingressou nesse mesmo ano na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (Porto) onde concluiu em 2003 o bacharelato na classe do professor José Pina. No ano lectivo 2006/2007 frequenta a Escola Superior de Artes Aplicadas (Castelo Branco) na classe do professor Miguel Carvalhinho onde conclui a licenciatura em Guitarra Clássica. No âmbito destas escolas participou em vários recitais a solo e de música de câmara. Frequentou cursos de aperfeiçoamento com os professores José Pina, Alberto Ponce, Roland Dyens e Miguel Carvalhinho.

Foi concertino da Orquestra de Guitarras da Academia de Música de Vilar do Paraíso até 2006 com quem teve um vasto leque de concertos por todo o país e no estrangeiro, destacando-se a participação no Festival Europeu de Música para Jovens de Neerpelt, na Bélgica, onde obteve o 1º Prémio cum laude (com distinção); as comemoraçoes do 10º aniversário da Orquestra Russa “Silver Strings” em S. Petersburgo; e o 1º Prémio obtido em Bad Nauheim, na Alemanha, no Festival Internacional de Orquestras de Guitarras(GOFI). Gravou com esta Orquestra três registos discográficos: “Cordas Soltas” (2001); “Contrastes”(2003) e “Plaisir”(2006).

Nos últimos anos tem-se dedicado, paralelamente, a fazer arranjos para ensembles de guitarra clássica.

Em paralelo com a guitarra clássica desenvolve trabalho como baixista eléctrico onde participa em vários projectos de estúdio, conjuntos de música ligeira e musicais, tendo neste âmbito uma grande actividade profissional.

É Docente desde 1998 na Academia de Música de Vilar do Paraíso e desde 2004 no Fórum Cultural de Gulpilhares.